A Som Livre foi criada em 1969 por Roberto Marinho, que confiou ao produtor musical João Araújo o cargo de diretor-geral da nova gravadora. O objetivo era disponibilizar para o público as trilhas sonoras das novelas e minisséries da TV Globo e, ao mesmo tempo, incentivar a música popular brasileira, abrir portas para novos talentos e revitalizar o repertório de músicos consagrados. Parte fundamental da história da MPB foi registrada pela Som Livre nas trilhas das novelas, minisséries e dos programas da Rede Globo. Nos últimos anos, a Som Livre desenvolveu novas áreas de negócio como licenciamento internacional, digital, selo eletrônico, e-commerce, shows e edição musical, e se consolidou como importante fornecedora de conteúdo para televisão e outras mídias.