Veritas Film

Veritas Film

Apaixonado pela comunicação e pelas novidades tecnológicas, Irineu Marinho investiu na então incipiente indústria cinematográfica. Em 1917, com o jornal A Noite já consolidado, fundou a Veritas, produtora dos filmes A Quadrilha do Esqueleto, Rosa que desfolha (ou O Dominó Misterioso), Ambição Castigada e Um senhor de Posição.


A Quadrilha do Esqueleto

Anúncio do filme A Quadrilha do Esqueleto, da Veritas Film. A Noite, 23/10/1917. Arquivo/Memória GloboA produção de estreia da Veritas Film, a produtora cinematográfica de Irineu Marinho, foi o policial A Quadrilha do Esqueleto. O filme estreou no dia 25 de outubro de 1917 nos cinemas Avenida, na Av. Rio Branco, e Ideal, na Rua da Carioca, ambos no centro do Rio de Janeiro, e depois seguiu para as salas de bairro e de outras cidades.

Divulgado como “aventuras policiais altamente sensacionais, que descrevem com grande verdade alguns tipos da nossa malandragem”, o filme contava a história do golpe tramado por um homem que contrata uma temida quadrilha para roubar a esposa e a fortuna de um negociante.

A cena da fuga de um dos bandidos pelos cabos do bondinho do Pão de Açúcar teve grande repercussão na época. Roberto Marinho, então com 12 anos, participou da cena como figurante, observando o corpo do bandido após sua queda. A Quadrilha do Esqueleto marcou, também, a estreia de Procópio Ferreira no cinema. O ator interpretou um repórter de barba e chapéu de palha, caracterização inspirada em Castellar de Carvalho, repórter de A Noite e grande amigo de Irineu Marinho.