A Noite

A Noite

Em 18 de julho de 1911, Irineu Marinho lançou um dos mais modernos jornais das primeiras décadas do século XX. Noticiosa, ágil, com linguagem acessível e ricamente ilustrada com fotografias, charges e caricaturas, A Noite conquistou imediatamente o público carioca.


Caricaturas

Além da linguagem acessível e dos temas de interesse voltados para o leitor comum, o jornal A Noite era ilustrado por alguns dos maiores nomes da caricatura brasileira. No time, estavam J. Carlos (1884-1950), com a coluna “O domingo que ri”; Raul Pederneiras (1874-1953); Seth (Álvaro Marins, 1891-1949), o principal caricaturista da folha; Julião Machado (1863-1930), considerado um dos pais da caricatura brasileira e responsável pelas colunas “O sétimo dia”, “De sete em sete dias” e “Vinheta da semana”; K. Lixto (Calixto Cordeiro, 1877-1957); Ariosto e Vasco Lima (1883-1973), grande amigo de Irineu Marinho.

“Cúmulo da Paciência. Pagar mais caro e esperar uma ligação a vida inteira!”. Caricatura de Raul Pederneiras. A Noite, 19/02/1921. Arquivo/Memória Globo

Coluna dominical do caricaturista Julião Machado. A Noite, 26/03/1915. Arquivo /Memória GloboColuna semanal O domingo que ri, de J. Carlos. A Noite, 07/02/1921. Arquivo /Memória Globo