Dona Chica

Dona Chica

Em 24 de dezembro de 1903, Irineu Marinho casou-se com Francisca Pisani, a D. Chica, filha de imigrantes pobres do sul da Itália. Descrita pelos parentes como uma verdadeira “mama” italiana, D. Chica acompanhou de perto e contribuiu ativamente para a ascensão profissional de Irineu Marinho e para o sucesso de seus empreendimentos.


Domingueiras

Já mais próspera com o sucesso de A Noite, a família mudou-se, em 1916, para uma grande casa na rua Haddock Lobo, no bairro da Tijuca. Nela, Irineu Marinho e Dona Chica organizavam as famosas “domingueiras”, almoços festivos para receber os amigos mais próximos e companheiros do jornal. 

Domingueira na casa da família Marinho, 1916. Ao centro, em pé, Roberto Marinho. Acervo/Memória Globo Almoço na casa da família Marinho, no bairro da Tijuca, RJ. 1917. Roberto Marinho é a segunda criança à esquerda. Acervo/Memória Globo Domingueira na casa da família Marinho, 1917. Acervo/Memória Globo