Formação

Formação

Filho de imigrantes portugueses, Irineu Marinho mostrou sua vocação para o jornalismo ainda na escola, nos jornais estudantis de Niterói. Aos 16, ingressou na imprensa da então capital federal. Colaborou com alguns dos diários mais importantes do Rio de Janeiro antes de fundar seu próprio jornal, A Noite, em 1911.


Origens

Irineu Marinho nasceu em 19 de junho de 1876, em Niterói, Rio de Janeiro, filho de João Marinho Coelho Barros e Edwiges de Souza Barros. Seu pai era natural de Celorico de Bastos, pequena vila do Distrito de Braga, em Portugal. Nascido em 1828, João Marinho deixou a terra natal aos 13 anos para fazer a vida no Brasil. Estabeleceu-se na cidade de Resende, onde morava um tio, e se casou com Edwiges Souza Barros, sua prima de segundo grau. Trabalhou desde cedo como guarda-livros, espécie de contador ou administrador de bens daquele tempo. Em 1958, após naturalizar-se cidadão brasileiro, passou a exercer cargos públicos e, já gozando de algum prestígio social, recebeu a patente de alferes da Guarda Nacional. Entre outras distinções, exerceu o cargo de mordomo da Santa Casa de Misericórdia de Resende e recebeu o grau de grão-cavalheiro da maçonaria. Após reveses financeiros, no entanto, mudou-se para o Rio de Janeiro. Dois anos depois, em 1876, com a família já estabelecida em Niterói, nasceu Irineu Marinho, o filho caçula do casal.