O Início

O Início

Um faro visionário e talento para negócios foram os ingredientes que levaram Roberto Marinho a comprar a frequência 1180 kHz, faixa PRE-3, para criar a Rádio Globo. Com sua habilidade transformou, em poucos meses, a Rádio Transmissora do Rio de Janeiro numa emissora de grande sucesso.


Dramaturgia

Os programas de dramaturgia, sob a direção do novelista Amaral Gurgel, eram estrelados por um grande elenco de radioatores, tais como Zezé Fonseca, Sadi Cabral e Daisy Lúcidi, que relembra: “Fui fazer parte do elenco da Rádio Globo, que começava com força total. Eles tinham levado da Rádio Nacional o grande novelista Amaral Gurgel para escrever as novelas. Contrataram a melhor figura do radioteatro, Zezé Fonseca, contrataram a Lúcia De Ló, o Delorges Caminha, muita gente de teatro, e fizeram um grande elenco de novela.”

“Assim que começou, a Rádio Globo se encaminhou para ‘brigar’ com a Rádio Nacional.” (Luiz Mendes, comentarista esportivo)

Em 12 de dezembro de 1944, a Rádio Globo começou a transmitir, às 19h30, a radionovela O Passado Não Volta, de Amaral Gurgel, com Zezé Fonseca e Delorges Caminha.

Um dos programas mais importantes dos primeiros anos foi o Grande Teatro Eucalol, que apresentava tanto radiofonizações de clássicos da literatura brasileira e internacional como peças escritas especialmente para o programa. Foram adaptadas obras de Jorge Amado, José de Alencar, Emily Brontë e Somerset Maugham.

Rancho Alegre, de 1946, chegou a provocar comoções coletivas com atuações que estimulavam a imaginação dos ouvintes. O tema era a felicidade.