Década de 1970

Década de 1970

Nos anos 1970, a Globo virou líder de audiência com um modelo de grade de programação horizontal e vertical, exibida de segunda a sábado, e o horário nobre preenchido por duas novelas intercaladas pelo Jornal Nacional, o carro-chefe da programação.


Entretenimento

Ao longo da década de 1970, foram muitas as apostas em novos formatos que abrangessem diferentes perfis de telespectadores. A audiência crescia, e Roberto Marinho sabia que precisava atender a públicos específicos. Não poupou esforços para facilitar o trabalho de seus colaboradores diretos.

Programas de caráter pedagógico, como os infantis Vila Sésamo (1972) e Globinho (1972), que uniam informação e entretenimento, ganharam espaço na grade de programação.  Um dos mais destacados foi o Sítio do Picapau Amarelo, seriado baseado nas histórias de Monteiro Lobato, eleito pela Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura)  um dos melhores programas infantis do mundo.

Também foi prolífica a produção de humorísticos: em um intervalo de quatro anos, foram criados quatro programas de humor. Em Chico City (1973), o humorista Chico Anysio provocava risadas com sua galeria de tipos inesquecíveis; Satiricom (1973) e O Planeta dos Homens (1976) satirizavam os costumes da sociedade; e, em Os Trapalhões (1977), Didi, Dedé, Mussum e Zacarias mostravam sua verve circense ao público.

A veiculação dos maiores sucessos musicais do momento não podia ficar de fora da programação, e o programa Globo de Ouro (1972) veio suprir essa demanda.