Década de 1980

Década de 1980

Nos anos 1980, a Globo introduziu o uso do satélite na transmissão de sua programação para todas as emissoras e afiliadas, imprimindo maior qualidade aos programas. O jornalismo ganhou ainda mais agilidade, investindo na divulgação de notícias de forma imediata e instantânea para todo o país. 


Entretenimento

Na década em que o jornalista e empresário Roberto Marinho recebeu o Prêmio Emmy Directorate Award – concedido pela Academia Internacional de Artes e Ciências de Televisão, dos EUA, na categoria Personalidade Mundial da Televisão –, a Globo não parou de lançar novos programas, exercitando sua criatividade nas áreas de humor, musicais, variedades, auditório e infantojuvenis.   

Logo no início dos anos 1980 foi ao ar o especial Vinícius para Crianças - A Arca de Noé, baseado na obra do poeta Vinicius de Moraes. Foi o primeiro programa de uma série de musicais infantis que seriam produzidos pela Globo nessa década, como Plunct, Plact, Zuuum... e Pirlimpimpim. O musical recebeu importantes premiações nacionais e internacionais. 

Em 1981, estreou Viva o Gordo, o primeiro programa humorístico comandado exclusivamente por Jô Soares, que já havia integrado o elenco de outros programas da Globo. No mesmo ano, a música regional brasileira ganhava um aliado, o programa Som Brasil, dirigido e apresentado pelo cantor Rolando Boldrin.

Este também foi o ano do especial Morte e Vida Severina, auto de Natal escrito por João Cabral de Melo Neto e musicado por Chico Buarque, premiado com o Emmy na categoria arte popular.

Em 1982, Abelardo Barbosa, o Chacrinha, voltou a tocar sua buzina no Cassino do Chacrinha, após dez anos de seu último programa na Globo. Em 1986, a apresentadora Xuxa Meneghel estreava na Globo com o infantil Xou da Xuxa, uma das atrações de maior sucesso da emissora.

Outra estreia inovadora foi o TV Mulher, o primeiro programa televisivo direcionado à mulher moderna. Apresentado por Marília Gabriela e Ney Gonçalves Dias, TV Mulher era um programa de variedades que abordava temas até então considerados tabus, como o comportamento sexual e os direitos da mulher.

No humor, destacou-se o inovador TV Pirata, que estreou em 1988. Dirigido por Guel Arraes e estrelado por um time de atores com talento humorístico, TV Pirata apostava na sátira à programação televisiva, através da paródia de novelas, comerciais e telejornais.

Antes que a década chegasse ao fim, estreou em 1989 o programa de auditório Domingão do Faustão, principal atração da programação vespertina dominical da Globo. Comandado pelo apresentador Fausto Silva, reúne números musicais, entrevistas, jogos e quadros de variedades.