Rio Gráfica

Rio Gráfica

A Rio Gráfica tinha sede na rua Itapiru, entre os bairros do Catumbi e do Rio Comprido, na Zona Norte do Rio de Janeiro. A editora tornou-se um dos maiores parques gráficos da América Latina. Editava revistas de grande circulação e fascículos, além de quadrinhos, como Almanaque do Mandrake, O Príncipe Valente e Jerônimo: o Herói do Sertão.


Globo Rural

Edição zero da revista Globo Rural, 08/1985. Acervo Ed. Globo

Em 1985, foi a vez de lançar uma publicação para o homem do campo, a revista Globo Rural, incentivada pelo sucesso do programa da TV Globo.

O programa havia sido criado por Humberto Pereira. No livro Um Mundo de Impressões: 60 Anos da Editora Globo, o jornalista conta que várias pessoas procuraram a Globo para fazer uma revista rural. O projeto vitorioso foi apresentado pelo diretor de fascículos da editora, João Noro. Humberto Pereira lembra as discussões em torno da criação da revista. “O projeto foi sendo aperfeiçoado depois de vários encontros em restaurantes e bares. Eu ouvia do pessoal: ‘Vocês da televisão não têm ideia do arriscado mercado editorial dos impressos’”.

Editorial de lançamento da revista Globo Rural, assinado por Roberto Marinho. Acervo Ed. Globo

Roberto Marinho, pela primeira vez, escreveu o prefácio do número zero e definiu o objetivo da revista.

“Transformar-se em companheira do agricultor, refletir seus anseios e reivindicações. Globo Rural quer levar informações e serviço ao agricultor, esteja onde estiver.” (Roberto Marinho)

A revista Globo Rural é a principal referência para o produtor rural que busca informação confiável para aprimorar a gestão de sua fazenda, assim como para os executivos e dirigentes das empresas de máquinas, implementos e insumos agrícolas, bancos, corretoras e consultorias. Além da revista impressa, também está presente na internet – no site Globo Rural – e em versão digital para tablets e smartphones.