O Início

O Início

Um faro visionário e talento para negócios foram os ingredientes que levaram Roberto Marinho a comprar a frequência 1180 kHz, faixa PRE-3, para criar a Rádio Globo. Com sua habilidade transformou, em poucos meses, a Rádio Transmissora do Rio de Janeiro numa emissora de grande sucesso.


Jornalismo

O Globo no ar, apresentado pontualmente, de hora em hora, foi um dos destaques da rádio. O programa segue no ar até hoje, sendo um dos radiojornais brasileiros que está há mais tempo no ar, de forma ininterrupta. Destacavam-se, ainda, o Cine-Rádio Jornal, do locutor Celestino Silveira, e o Programa do Casé (1948), do radialista Ademar Casé, um dos precursores e mais importantes nomes do rádio no Brasil.

“O time da Rádio Globo, quando eu entrei, era formado por mim, Luis Carvalho, Chacrinha, Roberto Muniz. Trabalhávamos de sol a sol.” (Haroldo de Andrade, radialista)

A cobertura política também fazia parte do radiojornalismo. No dia 17 de abril de 1945, por exemplo, a Rádio Globo irradiou com exclusividade a libertação dos presos políticos após a anistia decretada por Getúlio Vargas. Em 30 de outubro do mesmo ano, com apoio da reportagem do jornal O Globo, cobriu com transmissões e reportagens ao vivo a renúncia do presidente: “Sua excelência, o Sr. Getúlio Vargas, acaba de renunciar à presidência da República. Deverá assumir a chefia da Nação o Sr. João Café Filho. Fala a Rádio Globo.”