Inauguração

Inauguração

ZYD-81, TV Globo, canal 4 do Rio de Janeiro. A televisão de Roberto Marinho nasceu em um prédio no bairro do Jardim Botânico, na zona sul da cidade. O primeiro do Brasil especialmente projetado para abrigar uma emissora de TV. 


O prédio

Fachada do primeiro prédio da TV Globo, no Jardim Botânico, Rio de Janeiro. 1965. Acervo Ed. GloboO projeto do prédio da TV Globo teve como modelo a WFBM, uma estação americana localizada em Indianápolis, nos Estados Unidos. O prédio foi construído levando-se em conta todas as necessidades de produção. Contava com quatro estúdios de gravação. O estúdio A era reservado para receber o público dos programas de auditório. 

Quando a TV Globo entrou no ar, era o que de mais moderno havia no Brasil. As emissoras brasileiras de televisão, até aquele momento, funcionavam em espaços adaptados.

A construção do prédio foi precedida por treinamentos técnicos feitos pelos engenheiros da Globo. Como afirmou o próprio Roberto Marinho, em entrevista nos anos 1990. “Até então, as emissoras se instalavam nos cassinos ou em velhos cinemas. Adquirimos um grande terreno e, sob a orientação do saudoso general Lauro Medeiros, nosso diretor técnico, mandamos engenheiros aos Estados Unidos a fim de estudarem os planos das construções. Compramos um equipamento completo RCA, obtendo desconto diante do pagamento à vista”.

“Poucas televisões tinham essa organização. Um prédio construído para ser realmente uma televisão: com entradas e saídas facilitando a circulação, camarins ao lado do estúdio. A produção era menor, do jornalismo às novelas, mas a gente achava que era Hollywood, de tão grande que parecia”, conta o ator Milton Gonçalves.

A primeira equipe da TV Globo, responsável pela implantação da emissora, fora formada em 1963. Rubens Amaral, então diretor da Rádio Globo, assumiu a direção da estação, que contava com o general Lauro Medeiros como diretor técnico; Armando Queiroz na direção administrativa; Herculano Siqueira no cargo de diretor comercial; Mauro Salles como diretor de jornalismo; e Abdon Torres na direção de programação. Pouco antes da inauguração, Abdon Torres foi substituído por Mauro Salles, que acumulou as duas funções.

O jornalista Teixeira Heizer, responsável pela criação dos primeiros programas esportivos da emissora, tem boas lembranças da fase de construção do prédio de três andares na rua Von Martius. “Era um lugar ermo, não tinha casas. O Jardim Botânico de um lado e a TV Globo do outro. Trabalhava-se forte ali. Quem varria as nossas salas éramos nós mesmos, não havia empregados para isso. Aquilo nos deu uma sustentação, uma bravura... Era uma estação no seu nascedouro. Estávamos todos empenhados em botar a TV no ar”, acrescenta Heizer, dono do crachá de número 01 da Globo.