O legado

O legado

O Museu da Língua Portuguesa, os projetos Tecendo o Saber e Caminho das Águas, entre tantos outros, dão continuidade ao desejo de Roberto Marinho ao definir a razão de ser da Fundação Roberto Marinho: “Acreditamos que contribuindo para a solução dos problemas educacionais da maioria da população estaremos ajudando a construir um Brasil melhor".


O Tempo

“A comunicação não é privilégio do homem. Aquilo que nos distingue é a compreensão. Não adianta distribuir informações se não estivermos dispostos a discuti-las. Utilizando-se a força dos meios de comunicação, pode-se talvez vencer, mas não convencer. O convencimento exige diálogo, em que nos arriscamos à troca de palavras.” (Roberto Marinho)

Em depoimento ao Memória Globo, Joaquim Falcão, então secretário-geral da Fundação Roberto Marinho, lembrou de um diálogo entre ele e Roberto Marinho sobre o valor que o jornalista dava ao avanço da educação brasileira e a importância do Telecurso. “Nós fomos levar o telecurso para a Paraíba, e ele perguntou: ‘Em quantos estados o telecurso está?’ Eu disse: 'Em São Paulo, Rio, Minas...' E ele perguntou: ‘Por que não está em todos os estados?’ Disse isso aos 93 anos. Eu expliquei: 'Eu tenho uma estratégia: dá certo num estado, esse estado conta para o outro, aí o outro vem...' Dr. Roberto, então, falou: ‘Você sabe como é que o inglês se refere ao tempo? How is the enemy’. Porque o tempo é o inimigo de nós todos. Ele foi o que ele me disse: ‘Joaquim, o tempo é meu inimigo. Faça em todos os estados, e rápido.’

Após o falecimento do pai, o presidente da Fundação Roberto Marinho e vice-presidente das Organizações Globo, José Roberto Marinho, mantém uma importante atuação no terceiro setor. Integra também o conselho consultivo da World Wide Fund for Nature, o WWF, no Brasil, organização voltada para o desenvolvimento sustentável e é membro do Instituto Ethos de Empresas e responsabilidade Social.