Destaques

Destaques

Desde o lançamento, O Globo privilegiou diversas categorias profissionais que abrilhantaram a produção jornalística ao longo dos anos. Contou com talentos na caricatura, ilustração, fotografia, colunas, seções, cadernos e suplementos. O jornal é um colecionador de prêmios em função da sua qualidade editorial e respeito ao leitor. 


Política

Roberto Marinho respeitava a divergência de opiniões entre seus colaboradores e não impedia que isso se transformasse num empecilho para a divulgação de pontos de vista diferentes sobre determinado assunto. 

Nas primeiras décadas o jornal teve várias colunas de política, como O Globo no Operariado, Vida trabalhista, O Globo nos Estados, O Legislativo em Ação, Notícias da Capital, etc. Ao longo dos anos, assinaram e assinam espaços dedicados ao debate político nomes como Tereza Cruvinel, Helena Chagas, Ilimar Franco (atual responsável pelo Panorama Político), Ricardo Noblat, Márcio Moreira Alves, Elio Gaspari, Fernando Pedreira, Fernando Henrique Cardoso, Jorge Bastos Moreno e Merval Pereira, entre outros.

O colunista e ex-diretor do jornal, Merval Pereira, assina o espaço que leva o nome dele. Merval estreou a seção em junho de 2003. A coluna não cobre o dia a dia do Congresso, em Brasília. Aborda política externa, economia, desenvolvimento, políticas públicas e a política local do Rio de Janeiro. O jornalista comenta a importância da pluralidade de opiniões: “O Globo investiu mais em política e começou a se impor nesse campo no governo Geisel. A dificuldade estava no fato de o dr. Roberto ter uma posição política muito relevante, aparente e exposta. A tese era que a coluna política poderia conflitar com a opinião dele. Mas todos achávamos que quanto mais independente fosse o jornal, mais prestígio ganharia. Tínhamos que espelhar as posições plurais. É o que temos exercitado nesses últimos anos ”, comenta Merval.