Obras de Arte

Obras de Arte


Lasar Segall

Lasar Segall Paisagem brasileira, 1953 Óleo/tela Foto: Pedro Oswaldo Cruz
Lasar Segall, Paisagem Brasileira, 1953.
Óleo/tela. Foto: Pedro Oswaldo Cruz


Lasar Segall nasceu em Vilna, Lituânia, e, após algumas viagens ao Brasil, em 1923, decidiu naturalizar-se e fixar residência no país. O meio artístico vivia em plena efervescência modernista, um ano após a Semana de Arte Moderna, em 1922. Já reconhecido como grande artista moderno, foi completamente seduzido pela luz e cor do modernismo brasileiro. Esse quadro faz parte de três obras sobre o mesmo tema: a paisagem brasileira com a mistura dos tons da terra e do verde. O quadro participou da Exposição Arte Moderno en Brasil, no Museu Nacional de Belas Artes de Buenos Aires, e depois no Museu Nacional de Belas Artes de Santiago do Chile, em 1957; da Lasar Segall: Retrospectiva, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, MAM, em 1967; do Lasar Segall e o Rio de Janeiro, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, MAM, em 1991; e da exposição Bem do Brasil: Patrimônio Histórico e Artístico, no Palácio do Planalto, Brasília, DF e no Paço Imperial, no Rio de Janeiro, RJ, em 2010.

Lasar Segall, Kaddish, 1917. Óleo/tela. Foto: Pedro Oswaldo Cruz
Lasar Segall, Kaddish, 1917.
Óleo/tela. Foto: Pedro Oswaldo Cruz


Nascido em uma comunidade judaica de Vilna, Lituânia, Lasar Segall teve uma formação fortemente judaica incentivada por seu pai, escriba da Torá – lei judaica contida nos cinco primeiros livros do Antigo Testamento e usada nas cerimônias religiosas nas sinagogas. Esse fato marca sua experiência artística desde os primeiros anos, mas se torna mais evidente nos anos de 1917/1918 quando retorna à sua cidade. Após um período de estudo na Alemanha, em que começa a delinear seu trabalho marcadamente expressionista, buscando uma nova linguagem pictórica e uma caracterização psicológica mais forte para as figuras que retrata, volta a Vilna. Encontra-a completamente destruída pela guerra. Em Kaddish (Reza para os Mortos), Lasar Segall expressa o sofrimento humano e a tristeza do ritual por meio da geometrização, com predomínio das formas triangulares. Kaddish participou das exposições Segall, no Folkwang Museum, em Hagen, na Alemanha, em 1920; Lasar Segall, no Museu de Arte de São Paulo, SP, em 1951; Lasar Segall: Retrospectiva, no Museu de Arte do Rio de Janeiro, MAM/RJ, em 1967; e Corpo Presente: a Convicção Figurativa na Obra de Lasar Segall (1891-1957), na Pinakotheke Cultural, no Rio de Janeiro, RJ, em 2007.
 

Lasar Segall, Natureza Morta com Vaso de Flor, 1913. Óleo/tela. Foto: Pedro Oswaldo Cruz
Lasar Segall, Natureza Morta com Vaso de Flor, 1913.
Óleo/tela. Foto: Pedro Oswaldo Cruz


Quadro com fortes influências impressionistas, aproximando-se do estilo de Cézanne, Lasar Segall pinta esse quadro no mesmo ano em que realiza a sua primeira  viagem ao Brasil e faz a sua primeira exposição individual num salão alugado em São Paulo. Em seguida, faz nova exposição individual no Centro de Ciências, Letras e Artes de Campinas. No final de 1913, retorna à Europa, deixando várias obras em coleções brasileiras. A obra participou da exposição Corpo Presente: A Convicção Figurativa na Obra de Lasar Segall (1891-1957), na Pinakotheque Cultural, Rio de Janeiro, em 2007.