Hipismo

Hipismo

Nem tombo nem acidente grave. Nada afastava Roberto Marinho de Miss Globo,  Laborioso, Sagitarius. A paixão pelos cavalos começou na infância. Adulto, treinou na hípica. Dizia que o contato com os animais fazia desaparecer os problemas. Com quase 80 anos, parou de saltar obstáculos. Não por vontade própria. Mas a pedido da família.


Miss Globo

Igor, Arisco, Royal, Plumazo, Joá, Sagitarius, Rutinha, Tupã, Mistério, Biônico, Laborioso. Roberto Marinho foi dono de muitos animais. Mas um deles merecia uma atenção especial: Miss Globo, uma das melhores éguas do hipismo brasileiro. Elegante, ganhou uma das provas do Grande Prêmio de Roma e foi apelidada de Sônia Braga pelo jornal italiano Giorno. Sempre que vencia uma prova, Miss Globo virava notícia do jornal O Globo. E ganhava muito. Depois de ter sido proibido de montar pela família, Roberto Marinho passou a patrocinar o hipismo com a compra e empréstimo de cavalos. Miss Globo passou a ser montada pelo cavaleiro Luís Felipe Azevedo, o Filipinho, em competições no Brasil e no exterior. A equipe Roberto Marinho, representante do Brasil no Concurso Hípico Internacional de Madri, chegou a ser recebida pelo Rei Juan Carlos I.

Roberto Marinho e seu cavalo, na década de 1950. Memória GloboRoberto Marinho premia o cavaleiro Luiz Felipe Azevedo, em 24 de novembro de 1985. Agência O GloboRoberto Marinho treina com o cavalo Negão, na Sociedade Hípica Brasileira, na década de 1980. Memória Globo