Arte

Arte

Roberto Marinho começou a colecionar quadros na década de 1930. Não recorria a marchands. Era amigo de pintores e adquiria as peças diretamente em ateliês. Comprava por opção pessoal, com o coração. Frequentava vernissages, exposições e bienais, desenvolvendo o gosto refinado pela arte e pela cultura que o acompanhou a vida inteira.


Mostra em Brasília

Em 1995, 113 desenhos, pinturas e esculturas de 19 artistas modernistas brasileiros foram expostos no Itamaraty, em Brasília. Além do jornalista e da mulher, Lily Marinho, esteve presente o então presidente Fernando Henrique Cardoso e quase todo o seu ministério. Essa mostra contou com um imprevisto. O quadro Santa Cecília, de Portinari, avaliado à época em US$ 800 mil, perdeu um pedaço da pintura de cerca de 0,5 cm. Técnicos avaliaram, na época, que o excesso de calor pode ter sido a causa do problema.