Conheça nesse especial a trajetória do jornalista Irineu Marinho, pai de Roberto Marinho e um dos responsáveis pela modernização do jornalismo no início do século XX. Fundador dos jornais A Noite, em 1911, e O Globo, em 1925, apostou numa imprensa independente que, para sobreviver apenas com as vendas e a publicidade, buscou conquistar o leitor comum através da linguagem acessível, da diagramação moderna e do destaque para a temática popular. Apaixonado pela comunicação e pelo entretenimento, criou ainda a produtora cinematográfica Veritas Film e a editora Empresa de Romances Populares.

A mostra conta um pouco da história do jornalista através de textos, fotografias, documentos e trechos do livro Irineu Marinho – Imprensa e Cidade, escrito pela socióloga Maria Alice Rezende de Carvalho a partir de pesquisa realizada pelo Memória Globo.