Em 18 de julho de 1911, Irineu Marinho lançou um dos mais modernos jornais das primeiras décadas do século XX. Noticiosa, ágil, com linguagem acessível e ricamente ilustrada com fotografias, charges e caricaturas, A Noite conquistou imediatamente o público carioca.


A mais bela

Concurso de “A mais bela mulher do Brasil”, promovido por A Noite e pela Revista da Semana. A Noite, 23/09/1921. Arquivo /Memória GloboEntre setembro de 1921 e abril de 1023, A Noite e a Revista da Semana promoveram o concurso “Qual a mais bela mulher do Brasil?”, em âmbito nacional e com a colaboração de jornais de todos os estados. Durante mais de um ano e meio, A Noite publicou os resultados parciais dos municípios e estados, com fotos das concorrentes. O primeiro lugar ficou com a santista Maria José Leone. Além do prêmio principal, uma casa, a vencedora virou uma celebridade: “Zezé Leone” tornou-se nome de rua, de sobremesa, de uma locomotiva, marca de perfume e até mote de um maxixe. Encenou, além disso, o filme Sua majestade, a mais bela!, de Alberto Botelho, parceiro recorrente de Irineu Marinho. O autor teatral Oduvaldo Vianna incluiu Qual a mulher mais bela do Brasil? na revista Ai, seu Mello!, de sua autoria, encenada com sucesso no Teatro Centenário, na Praça Onze.