Em 1924, após graves problemas de saúde, Irineu Marinho embarcou para a Europa, em busca de tratamento e repouso. Com a eclosão da Revolução Tenentista de São Paulo, a viagem tornou-se também uma espécie de autoexílio. A volta só aconteceria no ano seguinte, quando o jornalista recebeu a notícia de que havia perdido o jornal A Noite.


Uma reportagem

Irineu Marinho entrevista o aviador Antonio Locatelli, em Pisa, Itália. 17/06/1924. Arquivo/Memória GloboA temporada na Europa não foi vivida por Irineu Marinho apenas como uma pausa para recuperação de sua saúde debilitada. Também não percorreu o Velho Mundo como um mero turista deslumbrado por paisagens e monumentos. A correspondência, trocada com o amigo Antônio Leal da Costa,  mostra antes de tudo o jornalista, o repórter sempre em busca da notícia e atento aos problemas brasileiros e internacionais. Num dos intervalos de seu tratamento de saúde, por exemplo, foi à cidade de Pisa para entrevistar o aviador italiano Antonio Locatelli, que se preparava para participar de uma expedição ao Polo Norte. A reportagem foi enviada para o Brasil e publicada em A Noite no dia 16 de julho de 1924.