A Rio Gráfica tinha sede na rua Itapiru, entre os bairros do Catumbi e do Rio Comprido, na Zona Norte do Rio de Janeiro. A editora tornou-se um dos maiores parques gráficos da América Latina. Editava revistas de grande circulação e fascículos, além de quadrinhos, como Almanaque do Mandrake, O Príncipe Valente e Jerônimo: o Herói do Sertão.


Público feminino

Uma publicação voltada para mulheres iria influenciar as revistas femininas nos 15 anos seguintes: Criativa, 1000 Ideias Para Ver e Fazer. Os assuntos variavam entre decoração, artesanato e moda na linha do “faça você mesmo”. Os escritores Thiago Blumenthal  e Gonçalo Junior, no livro Um Mundo de Impressões, 60 Anos da Editora Globo, lembram que a revista trazia dicas de como fazer bem-feito. “Foi uma fase curta, de apenas 55 edições, encerrada em junho de 1987, mas que deflagrou uma série de publicações voltadas às mulheres que se consolidaria até a década seguinte com Marie Claire.

 

 

Revista Costura sem segredos. Acervo Ed. GloboRevista Tricô e Crochê. Acervo Ed. GloboRevista Moda Moldes, Ano VIII, n° 92, 02/1994. Acervo Ed. Globo