Solucionar os problemas educacionais da maioria da população, ajudar a construir um país melhor e a formar cidadãos mais preparados para enfrentar os desafios da vida moderna é o lema da Fundação Roberto Marinho. Desde o início, a finalidade é usar a educação como fio condutor da cidadania. Referência em ensino à distância, o Telecurso é um exemplo de método para reduzir custos aos governos e ampliar a oportunidade de acesso à educação para milhares de brasileiros. 


Experiências Estaduais

O Tele-Escola foi uma experiência em educação que deu certo em Pernambuco, em 1991, numa parceria entre a Fundação Roberto Marinho, a Globo e o Governo do estado. O conteúdo que saía na TV era impresso e o material distribuído para professores e alunos. A série inicial, Educação Ambiental, atingiu cem escolas pernambucanas e cerca de cem mil alunos. O projeto produziu, ainda, as séries  Ecologia e Desenvolvimento, Sexo e Sexualidade e Escola Legal, que era apresentada pela atriz Regina Casé.

Outro artista responsável pelo sucesso do Tele-Escola foi Caetano Veloso. O programa Educação para o Trânsito, apresentado pelo cantor e compositor, falava do poder das escolhas: “Fazer uma canção, abraçar os amigos, tudo é uma questão de decidir, de querer. E você decide se quer conduzir no trânsito como um cidadão de verdade.” A campanha foi ao ar em 1994 e a Fundação Roberto Marinho ganhou o prêmio Volvo da Segurança no Trânsito.