Solucionar os problemas educacionais da maioria da população, ajudar a construir um país melhor e a formar cidadãos mais preparados para enfrentar os desafios da vida moderna é o lema da Fundação Roberto Marinho. Desde o início, a finalidade é usar a educação como fio condutor da cidadania. Referência em ensino à distância, o Telecurso é um exemplo de método para reduzir custos aos governos e ampliar a oportunidade de acesso à educação para milhares de brasileiros. 


Prêmio Jovem Cientista

As tecnologias desenvolvidas pela Fundação Roberto Marinho permitiram que a educação chegasse a camadas mais populares de vários estados. Alguns projetos se destacaram, como o Premio Jovem Cientista, que existe desde 1981 e foi resultado de uma parceria bem-sucedida entre o Grupo Gerdau, CNPQ e a Fundação Roberto Marinho. Num país deficiente em investimentos em educação, a criação de um prêmio que incentivasse a pesquisa científica era um estímulo para quem começava a se interessar pela área. 

“O Prêmio Jovem Cientista é prova do esforço conjunto que o nosso país espera e reclama.” (Roberto Marinho)

Na entrega do prêmio de 1997, Roberto Marinho ressaltou as formas de participação da iniciativa privada, no sentido de ajudar o governo a encontrar soluções para o desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil. “Não creio que esteja avançando demais e imodestamente se lhes disser que o Prêmio Jovem Cientista é prova do esforço conjunto que o nosso país espera e reclama, para livrar-se de padecimentos seculares, não só é necessário. É, sobretudo, possível.”

Outras empresas foram parceiras, como a General Eletric, a GE, que aderiu ao projeto em 2011. Nesse mesmo ano, o prêmio completou três décadas, com 17 mil trabalhos inscritos, 167 pesquisas premiadas e cerca de 150 bolsas de estudos concedidas.