O Museu da Língua Portuguesa, os projetos Tecendo o Saber e Caminho das Águas, entre tantos outros, dão continuidade ao desejo de Roberto Marinho ao definir a razão de ser da Fundação Roberto Marinho: “Acreditamos que contribuindo para a solução dos problemas educacionais da maioria da população estaremos ajudando a construir um Brasil melhor".


Patrimônio

A Fundação Roberto Marinho também construiu centros de conhecimento e memória. Em 2006, fundou o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, em parceria com o governo do Estado, dedicado ao maior patrimônio imaterial de uma nação, sua língua. Dois anos depois, na mesma cidade, inaugurou o Museu do Futebol, com 15 salas que abordam temas como torcida, origens do futebol e grandes nomes da cultura e do esporte. A Fundação teve a parceria da prefeitura e do governo de São Paulo.

Museu de Arte do Rio, MAR, 03/2013. Stefano Martini/Agência O GloboMAR

Em maio de 2013, a Fundação Roberto Marinho abriu as portas do Museu de Arte do Rio, o MAR, um dos principais projetos de revitalização do porto do Rio de Janeiro, que abriga exposições temporárias. É um museu com uma escola ao lado, que tem a meta de atender dois mil professores e receber 200 mil visitantes, por ano. Entre eles, cem mil alunos da rede pública do município. 

O MAR tem o apoio da prefeitura e do governo do Rio de Janeiro, da Vale e do Ministério da Cultura, junto com as Organizações Globo.

Museu do Amanhã

Com inauguração prevista para 2015, na mesma região, o Museu do Amanhã irá propor uma reflexão sobre o futuro do planeta. Será um museu de ciências original, dedicado a explorar possibilidades, por meio de ambientes audiovisuais, instalações interativas e jogos. O público vai poder examinar o passado, manipular as várias tendências da atualidade e imaginar futuros possíveis para os próximos 50 anos.

O Museu do Amanhã será erguido no Píer Mauá, próximo ao centro financeiro da cidade. Serão cerca de 30 mil m², com jardins, espelhos d’água, ciclovia e área de lazer. O projeto do Museu do Amanhã é uma iniciativa da prefeitura do Rio de Janeiro e da Fundação Roberto Marinho, em parceria com o banco Santander. 

Museu da Imagem e do Som

Outra construção que está para ser inaugurada, com o apoio do governo do Rio de Janeiro, é o Museu da Imagem e do Som. Vai funcionar em frente à Praia de Copacabana, com salas para exposição e para o acervo. O novo espaço também abrigará o Museu Carmem Miranda. José Roberto Marinho ressalta a necessidade de dar conteúdo aos patrimônios restaurados ou construídos pela Fundação Roberto Marinho.

“Percebemos que não adianta recuperar um patrimônio com pedra e cal, sem dar uma utilidade a esse prédio. Começamos a trabalhar com o patrimônio imaterial. Um exemplo é a restauração da Estação da Luz, em São Paulo, onde construímos o Museu da Língua Portuguesa, um lugar de onde o aluno sai mais estimulado pela literatura e pela nossa língua. Antes da inauguração, treinamos quase cinco mil professores de escolas públicas para serem os monitores de visita ao museu. Os alunos vão e acabam voltando com os pais."