A Fundação Roberto Marinho iniciou suas atividades, em 1977, com a Campanha de Preservação da Memória Nacional. A proposta era conscientizar a população e as autoridades para a importância e necessidade da preservação e restauração do patrimônio histórico. O slogan da campanha, exibido em comerciais na Globo, era: "Nosso passado está vivo, ajude a conservá-lo".


Jardim Botânico

O processo de recuperação do Jardim Botânico, o patrimônio natural mais antigo do Brasil, tinha o lema “o Jardim Botânico está voltando a respirar”. Em parceria com o antigo Banco Real, a Fundação Roberto Marinho restaurou a porta de entrada, o orquidário, os chafarizes e as esculturas do parque, em 1992. O fim das obras coincidiu com a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e o Desenvolvimento, a Rio-92, que levou ao Jardim Botânico chefes de estado como o então presidente de Portugal, Mário Soares.