A Fundação Roberto Marinho iniciou suas atividades, em 1977, com a Campanha de Preservação da Memória Nacional. A proposta era conscientizar a população e as autoridades para a importância e necessidade da preservação e restauração do patrimônio histórico. O slogan da campanha, exibido em comerciais na Globo, era: "Nosso passado está vivo, ajude a conservá-lo".


Pensamento e Patrimônio

Para Roberto Marinho, desenvolvimento social estava ligado à educação e à cultura. No discurso que fez no jantar oferecido pela Associação das Entidades Mantenedoras dos Estabelecimentos de Ensino Superior, em 1980, o jornalista lembrou que “a principal reserva do Brasil é a dos recursos humanos. É essa reserva que nos cumpre aprimorar para vencer o atraso e eliminar desigualdades regionais e sociais que castigam grande parte de nossa população”.

“A principal reserva do Brasil é a dos recursos humanos.” (Roberto Marinho)

Um exemplo de compromisso com o conhecimento contemporâneo foi o projeto “Pensamento e Patrimônio”. Em 1995, a Fundação Roberto Marinho promoveu palestras com o historiador inglês Eric Hobsbawn, o  romancista Ariano Suassuna, os escritores Carlos Fuentes, do México, e o peruano Mário Vargas Llosa, entre outros.