Quando a Globosat começou, em 1991, era uma empresa que produzia e distribuía conteúdos variados. Com o tempo, a experiência mostrou que são duas maneiras distintas de administrar conteúdos para TV segmentada. Ao olhar para a cadeia de valor do negócio TV por assinatura, separar a produção dos conteúdos, da maneira com que esses conteúdos chegam à casa dos assinantes, fazia todo o sentido. Essa decisão deu à empresa vantagem competitiva, e foi um marco na história da Globosat.


Globo News

Sidney Rezende e Christiane Pelajo na bancada do Jornal das Dez. Comunicação Interna GlobosatA Globo News, primeiro canal de jornalismo da TV brasileira, 24 horas no ar, foi criada em 1996 e, em pouco tempo, tornou-se referência entre os formadores de opinião. A fórmula do sucesso incluiu a união de profissionais experientes com jovens talentosos, abertos a novas propostas. O canal é inteiramente produzido pela área de jornalismo da Globo e faz parte da programação de canais Globosat.

O canal contou, desde o início, com uma programação 100% produzida pela Rede Globo. “Os brasileiros queriam ver coisas deles, faladas na nossa língua. A produção era o caminho”, explicou Evandro Carlos de Andrade, diretor da Central Globo de Jornalismo na época da criação da Globo News. O jornalista Sidney Rezende completa: “O primeiro ano foi de muitos ajustes, era a primeira experiência all news, fazendo uma programação 24 horas.”

Rosa Magalhães, ex-diretora executiva da Globo News, respondia pela linha editorial de várias atrações da grade de programação nos primeiros anos, como os telejornais Em Cima da Hora e Jornal das Dez, e os programas Espaço Aberto, N de Notícia, Conta Corrente, Milênio, Arquivo N, Sem fronteiras, Via Brasil, Almanaque, Entre Aspas, Agenda, Atividade, Cidades e Soluções, Painel e Starte. “Foi uma responsabilidade enorme, um negócio novo, TV a cabo no Brasil, uma coisa que eu nunca tinha feito.”

O Arquivo N, um grande sucesso da Globo News, marcou a estreia da jornalista Leilane Neubarth no canal: “Acho uma das melhores coisas da TV. O arquivo é precioso, é a memória da gente. E, sem dúvida nenhuma, você zelar pela sua memória é muito importante.”        

“O que a Globo News permite é fazer uma cobertura extensa e diferenciada.” (Evandro Carlos de Andrade, foi diretor da Central Globo de Jornalismo)

O  diretor-geral da Rede Globo, Carlos Henrique Schroder, resume o papel da Globo News: “Ela vai mais fundo na informação, tem mais espaço para fazer isso. Consegue ter programas mais temáticos, consegue ir além do noticiário convencional da TV aberta. O telespectador do cabo entende que ali se pode ir além, ter um complemento para o entendimento da informação. Essa é uma marca muito forte da Globo News. Tanto que nos acontecimentos ao vivo, nos episódios fortes do ponto de vista da notícia, ela se torna líder de audiência na TV por assinatura.”

O diretor-geral de Jornalismo e Esportes da Globo, Ali Kamel, lembra que a Globo News, por ter nascido do jornalismo da Rede Globo, já surgiu imbuída da capacidade de se comunicar com todos os públicos. Ainda que tenha alguns programas mais elitizados como o Sem Fronteiras e o Milênio, o cerne da Globo News “é o noticiário em tempo real. Quando eclode uma crise, você começa a pôr no ar e a noticiar no jornal das seis horas da manhã; no jornal das dez horas da manhã; no jornal do meio dia; no jornal das seis da tarde...”.

A atual diretora da Globo News, Eugenia Moreyra, destaca ainda que “a diretriz hoje é se tornar a principal fonte de notícia para o seu assinante”. E para atender a esse objetivo “é importantíssimo a Globo News estar em todas as plataformas”. O canal já está no celular e os resultados são excelentes: “Nosso aplicativo é um sucesso, é muito bem posicionado entre os aplicativos de notícias”.

As coberturas ao vivo da Globo viraram referência. Essa experiência, transportada para a TV a cabo, atrelada à análise dos fatos, reflexão e debates, fazem da Globo News um líder de audiência. “Hoje, a Globo News ocupa um papel indiscutível no portfólio do mercado de canais programados pela Globosat”, completa Pecegueiro.