Desde o lançamento, O Globo privilegiou diversas categorias profissionais que abrilhantaram a produção jornalística ao longo dos anos. Contou com talentos na caricatura, ilustração, fotografia, colunas, seções, cadernos e suplementos. O jornal é um colecionador de prêmios em função da sua qualidade editorial e respeito ao leitor. 


Segundo Caderno

O Segundo Caderno estreou separado do restante das editorias e com nome formalizado em 1984. Antes, as matérias eram publicadas após a seção de Esportes. O Segundo Caderno é a parte do jornal com dedicação maior à arte, cultura e comportamento. Nele, está a couna Gente Boa, onde são publicadas notas sobre o Rio de Janeiro e seus personagens. A coluna de Patrícia Kogut avalia as programações das TVs brasileiras e estrangeiras, anuncia novidades em seriados, novelas e minisséries, revela o destino de atores e autores nas futuras produções da televisão. A programação cultural do Rio de Janeiro e a crítica são publicadas na seção Rio Show, que traz ainda colunas com o que vai ao ar, no dia, nos canais televisivos. O caderno também diverte os leitores com histórias em quadrinhos, palavra-cruzada e horóscopo. Na última página são publicados  artigos de colunistas como Adriana Calcanhoto, Tony Bellotto, Arnaldo Bloch, Arnaldo Jabor, Arthur Dapieve, Cora Rónai, entre outros.