Irineu Marinho não se deixou abater pela perda do jornal de maior sucesso da época. Quase 150 dias após deixar a presidência de A Noite, lançou seu novo vespertino, O Globo. 


Construção do Maracanã

No final da década de 1940, o Brasil foi indicado para sediar a IV Copa do Mundo de Futebol (a primeira do pós-guerra). No entanto, o país contava apenas com um grande estádio, o Pacaembu, em São Paulo, com capacidade para 60 mil pessoas. Era necessário, portanto, a construção de um estádio maior para a realização dos jogos. Mário Filho, chefe de esportes de O Globo, junto com o compositor Ari Barroso, engajou-se numa campanha pelo projeto de um novo estágio com capacidade para 150 mil espectadores a ser construído no terreno do antigo Derby Club, no bairro do Maracanã. Na época, ele teve que enfrentar a oposição do então vereador Carlos Lacerda, que desejava a construção de um estádio municipal em Jacarepaguá.

Nessa ocasião, Mário Filho realizou uma enquete popular com a pergunta “E o estádio para a Copa do Mundo?”. O resultado favorável à obra gerou debates no legislativo e no executivo que levaram o então prefeito do Rio, general Ângelo Mendes de Morais, a assinar, em 11 de novembro de 1947, a lei que autorizou a construção do estádio. Em 16 de junho de 1950, após dois anos de obras, o Maracanã foi inaugurado.