Um faro visionário e talento para negócios foram os ingredientes que levaram Roberto Marinho a comprar a frequência 1180 kHz, faixa PRE-3, para criar a Rádio Globo. Com sua habilidade transformou, em poucos meses, a Rádio Transmissora do Rio de Janeiro numa emissora de grande sucesso.


Discurso de inauguração na íntegra

“Não é propriamente uma estação de rádio que hoje inauguramos. É uma nova modalidade dos serviços d’O GLOBO à nação, que agora se ampliam. Fazemo-lo em nome dos maiores interesses da nossa arte e pensamento. Somos ainda, e sobretudo, uma voz da imprensa brasileira que se enriquece de todas as modulações do caminho das ondas. Se o microfone é o moderno auxiliar da reportagem, com o milagre da propagação instantânea de todas as notícias, ele é também – e este o seu inimitável prestígio – o instrumento difusor da emocionante e imaterial beleza da música. Conjugado o seu concurso ao do jornalismo, de que é a expressão vertiginosa e alada, o rádio teria, forçosamente, de completá-lo, criando essas maravilhosas sinergias entre a palavra escrita e a palavra falada, entre a imagem visual do papel impresso, multiplicado ao infinito pelas imensas tiragens, e a imagem fluida de que os transmissores de onda envolvem instantaneamente o mundo inteiro.

O GLOBO, inaugurando hoje a estação a que dá o seu próprio nome, se integra, na rede do ‘broadcasting’ brasileiro sem vaidades, nem caprichosos pruridos de imitação. O GLOBO vem cumprir um dever cuja ideia há muito se achava gravada na sua consciência, qual a de melhor servir às causas de comunhão e no desenvolvimento artístico e cultural do país, valendo-se do prodigioso auxílio das antes P. R. E. 3. É o programa do jornal fundado por Irineu Marinho que há de inspirar os dos nossos estúdios. É a vida, das nossas tradições na imprensa, que se há de irradiar desta estação através de todas as propagandas da arte e da voz. Muitas vezes, conduzindo uma mensagem de beleza, a magia das cordas ou dos metais, das tribunas ou dos estádios, fomos hóspedes de passagem de nosso ‘broadcasting’. Nesta noite, nele nos instalamos definitivamente. E, se à cerimônia inaugural de agora trazemos o nosso microfone à sala do teatro oficial da cidade, é porque desejamos seja mais amplo o espaço a esta festa e mais alto o signo da nossa apresentação, processando-se sob as influências inefáveis da própria música ou do privilégio incontestável do rádio, que é o de transmitir. Sob o patrocínio da arte inigualável de Magdalena Tagliaferro, com o concurso da Orquestra Sinfônica Brasileira, sob a regência do maestro José Siqueira, a Rádio Globo se inaugura neste instante como uma afirmação dos nossos esforços, ainda que modestos, postos incondicionalmente a serviço da cultura e da civilização no Brasil, de suas crenças de vida, e de seus ideais de arte. Senhoras e senhores, está inaugurada a Rádio Globo.”

Roberto Marinho