A gravadora Som Livre foi criada em 1969 com o objetivo principal de pôr à disposição do público as trilhas sonoras das novelas e minisséries da Rede Globo, e ao mesmo tempo incentivar a música popular brasileira, abrindo portas para novos talentos e revitalizando o repertório de músicos tradicionais e consagrados.


O Cafona

Quando João Araújo aceitou o convite da direção da Rede Globo para organizar uma empresa fonográfica, ele tinha o prazo de 25 dias para lançar o primeiro produto do selo Som Livre: a trilha sonora nacional de O Cafona, novela das 22 horas de Bráulio Pedroso. Dirigida por Daniel Filho e Walter Campos, a trama fazia uma sátira ao movimento hippie e à alta sociedade carioca.

Trilha Sonora Original da Novela O Cafona, 1971. Som Livre“Para a implementação desse projeto era fundamental o Daniel Filho, que era o diretor da novela. Daniel estava modernizando as novelas, é um cara ultramusical, entende disso”, recorda Nelson Motta.

A música Shirley Sexy, de Fred Falcão e A. Medeiros, foi cantada pela própria Marília Pêra, intérprete da personagem na trama. João Araújo conta que teve que insistir muito para a atriz topar: “Ela não queria gravar sua música, me disse: ‘Sou muito fanhosa, não sei cantar, eu sou atriz.’ Depois de eu insistir, Marília finalmente gravou. Foi um espetáculo, um sucesso!”

“Meu avô sempre valorizou muito o Brasil e a cultura brasileira.” Paulo Marinho, diretor do canal Gloob

Outro sucesso foi Lúcia Esparadrapo, de Antônio Carlos e Jocafi, que fazia referência à personagem hippie de Djenane Machado. Houve músicas de Marcos e Paulo Sérgio Valle, Carlos Lira, César Costa Filho e Nonato Buzar. A excelente vendagem do disco levou ao lançamento de O Cafona – Internacional, primeira trilha com músicas estrangeiras de uma novela da TV Globo. 

Era a época do vinil. Quando os discos eram produzidos pela Philips, apenas um LP era lançado por produto. João Araújo destaca o que levou a Som Livre a investir numa trilha internacional: “Percebi que uma trilha só para quase oito meses de novela se tornava um pouco cansativa para os personagens. Então, me veio à cabeça fazer a segunda parte da novela com músicas internacionais, românticas ou não. Foi quando começou o disco de novela internacional. E qual foi a nossa surpresa quando verifiquei que a trilha internacional, a primeira que lançamos, já tinha vendido. Explodiu, foi um sucesso!”