Nos anos 1970, a Globo virou líder de audiência com um modelo de grade de programação horizontal e vertical, exibida de segunda a sábado, e o horário nobre preenchido por duas novelas intercaladas pelo Jornal Nacional, o carro-chefe da programação.


Esporte

Em 1970, a seleção brasileira de futebol foi tricampeã na Copa do Mundo do México e, pela primeira vez, os telespectadores puderam assistir à transmissão dos jogos ao vivo, por meio de um pool de emissoras que incluía a Globo. A Copa de 1970 foi o primeiro evento com transmissão direta em cores.

O jornalismo esportivo da Globo, porém, só começou a ganhar destaque em 1972, com a primeira transmissão via satélite de uma olimpíada, a de Munique, na Alemanha. Foi também nesse ano que a Globo transmitiu pela primeira vez, ao vivo, uma corrida de Fórmula 1. A prova, nunca disputada no Brasil, no circuito de Interlagos, em São Paulo, teve como vencedor o brasileiro Emerson Fittipaldi.

A partir do ano seguinte, a emissora passou a cobrir regularmente a competição, com exclusividade. Foi o ano da criação, por Julio Delamare, da Divisão de Esportes, marco do fortalecimento do jornalismo esportivo da Globo. Até então, não havia uma equipe dedicada exclusivamente à cobertura esportiva, nem recursos ou equipamentos para a realização de reportagens e transmissões de eventos.

Mesmo assim, a área ainda contava com poucas pessoas, e só ganhou um contorno mais definido dois anos depois, com a primeira transmissão da Globo no exterior – a cobertura do Grande Prêmio de Fórmula 1 da Argentina, disputado em Buenos Aires – e a transmissão da Copa do Mundo de 1974, na Alemanha, a primeira experiência de cobertura jornalística em equipe feita pela emissora. A Globo se tornou a única emissora a acompanhar todas as Copas do Mundo até os dias atuais.

“No início do uso do satélite, não se podia imaginar nada de última hora, porque as coisas tinham que ser tratadas com meses de antecedência, e era muito caro”, conta o jornalista Ciro José, que se tornaria diretor da Divisão de Esportes de 1978 a 1986.

Outras coberturas de destaque vieram a seguir, como as Olimpíadas de Montreal, em 1976, e a Copa do Mundo da Argentina, em 1978, quando o jornalismo tinha equipes espalhadas pelas cinco cidades-sede da competição, produzindo quatro horas diárias de programação ao vivo.

A década de 1970 marcou, ainda, a criação do Esporte Espetacular (1973) e do Globo Esporte (1978), que abriram espaço na programação da Globo para todas as modalidades esportivas, além do futebol.