Nos anos 1980, a Globo introduziu o uso do satélite na transmissão de sua programação para todas as emissoras e afiliadas, imprimindo maior qualidade aos programas. O jornalismo ganhou ainda mais agilidade, investindo na divulgação de notícias de forma imediata e instantânea para todo o país. 


Tecnologia

Além da introdução do satélite na transmissão da programação para todas as suas emissoras e afiliadas, o que trouxe ganhos significativos de qualidade nas operações da rede, nos anos 1980 a Globo também passou a usar uma nova tecnologia de sonorização, feita com computador. Até então, para se colocar música, ruído e efeitos nas trilhas sonoras de novelas e minisséries eram usadas mesas de áudio com 20, 30 botões, equipamentos mais convencionais. Tudo isso foi substituído pelo computador, que permitiu um processo de operação mais fácil e dinâmico, melhorando a qualidade das trilhas sonoras e, consequentemente, a qualidade de transmissão das novelas.

Outra novidade foi a mudança do ponto de transmissão do sinal da Globo em São Paulo. O transmissor era no Pico do Jaraguá, mas havia muitos problemas na cobertura da cidade – o sinal não era captado direito em vários bairros, como Aclimação e Cambuci. A Globo recebia muitas reclamações. Houve, então, a decisão de colocar um segundo transmissor na Avenida Paulista. “A Globo já tinha uma audiência enorme. As pessoas tinham suas antenas viradas para o Jaraguá e dois terços dos moradores da cidade teriam de redirecioná-las para a Paulista. Nossa expectativa era enorme, mas resolvemos correr o risco”, conta Fernando Bittencourt, diretor de Engenharia da Globo.