A TV Globo sofreu três incêndios em sua primeira década de existência. Um em sua antiga sede, em São Paulo, e os outros dois na sede do Rio de Janeiro. Apesar dos prejuízos, Roberto Marinho estava mais preocupado com a integridade de seus funcionários, que não pouparam esforços para salvar as fitas com a programação a ser exibida e manter a emissora no ar.


1971 – Destruição do estúdio A

Em 28 de outubro de 1971, um incêndio destruiu o estúdio A, reservado para os programas de auditório da TV Globo no Rio. “Pegou fogo num material plástico, encheu a estação de fumaça. O estúdio A teve de ser refeito”, conta o engenheiro Herbert Fiuza.

A produtora Lya Mara estava na sua sala, no segundo andar, quando o fogo começou. “O lugar onde se guardavam as fitas tinha saída para a rua Von Martius. Molhamos um cobertor com mangueira e metemos na cabeça. Dr. Roberto estava feito louco do lado de fora, e a gente salvando fita”.