No mesmo ano em que fundou a TV Globo, no Rio de Janeiro, o jornalista e empresário Roberto Marinho comprou a TV Paulista, canal 5, da Organização Victor Costa, que passaria, no ano seguinte, a se chamar TV Globo São Paulo. Esse foi o primeiro passo para a formação da futura Rede Globo.


Jornal Nacional – “O Brasil ao vivo aí na sua casa”

Cid Moreira na bancada do Jornal Nacional. CEDOC/TV GloboMarco do telejornalismo da Globo e carro-chefe da implantação da rede, o Jornal Nacional nasceu a partir da realidade tecnológica implantada pela Embratel, mas também atendeu a uma necessidade de mercado.

“A ideia dos profissionais do alto comando da Rede Globo, evidentemente com homologação do Dr. Roberto Marinho, era fazer da Globo uma rede, e não um canal local. Não havia laboratório melhor para essa experiência do que um telejornal. Ao mesmo tempo em que espalharíamos nossa imagem, exercitaríamos uma tecnologia que nós não dominávamos, que era a comutação de praças”, salienta Armando Nogueira, que assumiu a direção de jornalismo da Globo em 1966, investindo na contratação de jovens profissionais, como Alice-Maria, que, em pouco tempo, tornou-se seu braço direito. Os dois comandariam o jornalismo da Globo pelos 24 anos seguintes.

“Os militares queriam mostrar que o Brasil era um país de primeiro mundo e montaram a Embratel. Nós imaginamos que a primeira utilização óbvia dos enlaces de micro-ondas seria o telejornalismo, e começamos a pensar num programa nacional”, ressalta Boni.

O Jornal Nacional foi formatado seguindo o modelo dos telejornais existentes nos Estados Unidos. Sintetizado na expressão “É o Brasil ao vivo aí na sua casa”, em pouco tempo virou campeão de audiência. Roberto Marinho, um apaixonado pelo jornalismo, considerava-o uma das estrelas da programação.

Entre as notícias apresentadas por Hilton Gomes e Cid Moreira na estreia do Jornal Nacional, em 1º de setembro de 1969, estavam as primeiras imagens das obras de alargamento da Praia de Copacabana, a morte do campeão mundial de pesos-pesados Rocky Marciano e o aumento do preço da gasolina. O telejornal também noticiou  que o governo da nação estava entregue a uma junta militar, já que o presidente Costa e Silva se recuperava de uma crise circulatória. Após mostrar o gol de número 979 de Pelé, que garantiu a classificação do Brasil para a Copa de 1970, Cid Moreira se despediu: “É o Brasil ao vivo aí, na sua casa”. E emendou com um “boa noite”, saudação que viria repetir cerca de 8 mil vezes ao longo dos 27 anos seguintes. 

A experiência com o Jornal Nacional semeou na empresa a consciência de que era possível fazer uma rede não só para telejornalismo, mas também para entretenimento.

Em 1975, grande parte da programação passou a ser exibida simultaneamente para todo o país. Houve um progressivo aumento do número de afiliadas. Roberto Marinho via a importância da presença da Globo em várias regiões do Brasil, para estreitar os relacionamentos institucionais, comerciais  e comunitários. “Eu dizia que eram necessárias mais unidades para a Rede Globo, especialmente em mercados como interior de São Paulo, Rio, e Minas. E o Dr. Roberto Marinho acolheu minha ideia. Ele perguntava: ‘Você acha que essa venda local vai ser boa, vai se realizar?’. Eu falava: ‘Dr. Roberto, o país vai crescer’. Ele não tinha dúvidas: ‘Ah, então nós precisamos cuidar disso’. Ele sabia que teria um custo, que haveria certa dificuldade de implantação, mas era firme”, recorda Evandro Guimarães, ex-diretor de afiliadas da Globo.