Roberto Marinho começou a colecionar quadros na década de 1930. Não recorria a marchands. Era amigo de pintores e adquiria as peças diretamente em ateliês. Comprava por opção pessoal, com o coração. Frequentava vernissages, exposições e bienais, desenvolvendo o gosto refinado pela arte e pela cultura que o acompanhou a vida inteira.


Um  Outro Olhar: Coleção Roberto Marinho

Quase 30 anos após a primeira exposição, o Paço Imperial, no Rio de Janeiro, voltou a realizar nova mostra da coleção de Roberto Marinho. Um Outro Olhar reuniu 202 obras de arte modernista e abstrata, grande parte inédita para o público. Puderam ser vistos trabalhos de Antonio Bandeira, Portinari, Burle Marx, Krajcberg, Ismael Nery, entre outros, e peças sacras dos séculos XVIII ao XIX. Pela primeira vez, o público pôde ver, lado a lado, as 14 telas de Jesus com a Cruz nas Costas, pintadas pelo romeno Emeric Marcier, em 1955. 

A exposição foi dividida em 11 temas: Retrato, Figuras, Flores, Natureza-Morta, Paisagem, Marinhas, Infância, Religião, Trabalho, Lazer e Fauna. O núcleo Religião fez com que a exposição entrasse para o calendário de eventos da Jornada Mundial da Juventude, em junho de 2013, no Rio de Janeiro.

O curador da exposição, Lauro Cavalcanti, afirmou que Um Outro Olhar almejava "promover o reencontro com os excelentes artistas que integram a coleção, alguns deles ausentes das nossas galerias há tempos”.