Roberto Marinho tinha um fôlego excepcional. Mergulhou quase até os 84 anos e considerava o esporte uma espécie de terapia. Uma meditação em movimento. No mar, ele dizia que pensava melhor, e que as soluções para os problemas vinham na cabeça com mais clareza.


Tamarind

Iate Tamarind, barco de Roberto Marinho. Arquivo / Memória Globo.O Miss Globo foi o primeiro barco de Roberto Marinho. Era uma lancha rápida, pequena e usada para o mergulho. Depois, vieram o Arisco, um barco argentino, e o Tamarind, um iate a motor de 105 pés (32 m), construído em 1958, que permaneceu com o jornalista durante 33 anos. Com ele, Roberto Marinho viajou com a família e recebeu a visita de personalidades nacionais e internacionais, como a do ex-presidente americano, George Bush.

Aos 86 anos, Roberto Marinho atribuía sua saúde à opção por uma vida regrada e sem excessos. Em entrevista a correspondentes estrangeiros no Brasil, em janeiro de 1990, relatou que ainda fazia caça submarina e mergulhava sem aparelhos e oxigênio. Sobre a forma física dizia: “Decidi não fazer nada que pudesse prejudicar minha vida. Passei a não beber mais e a me exercitar muito. Não fumo, não passo noites sem dormir e tenho uma vida muito ativa”.

Em 2000, quase aos 100 anos de idade, Roberto Marinho ainda frequentava Angra dos Reis com a terceira mulher, Dona Lily. Seu lazer era embarcar no Tamarind e relaxar ao som de música clássica.