Seleção de artigos, editoriais, entrevistas e discursos do jornalista e empresário Roberto Marinho sobre economia brasileira, planos econômicos, desenvolvimento nacional, entre outros.


Momento decisivo

Criou-se no país uma ansiosa expectativa sobre o anunciado pronunciamento de Sarney. Definirá o destino do pacto social, iniciativa que deteve a escalada inflacionária, mas que não poderá manter-se nos limites dos entendimentos até agora realizados. Caso não assuma as dimensões adequadas aos objetivos que a inspiraram, resultará numa frustração de efeitos imprevisíveis.

O aspecto mais importante da proposta dos dirigentes empresariais e sindicais, que procuraram o governo para dividir responsabilidades na contenção do custo de vida e reinício do crescimento, foi a demonstração de uma tomada de consciência nacional de que a solução da crise não pode resultar de mais um “pacote” de medidas monetárias fiscais e cambiais elaboradas por tecnocratas que, na atual ou em anteriores administrações, empreenderam tentativas que redundaram numa sucessão de fracassos.

Luís Antônio Medeiros, que liderou as entidades de trabalhadores empenhadas no esforço comum de reduzir as taxas de aumento, deixou claro nas suas declarações de ontem que, antes de uma definição do presidente sobre os novos rumos do país, não admitirá qualquer alteração nos instrumentos de defesa da capacidade aquisitiva dos salários.

Não têm sido menos enfáticas as declarações dos dirigentes empresariais. Em outros momentos decisivos da vida brasileira, Sarney demonstrou uma lúcida intuição da atitude mais ajustada às circunstâncias. Que não lhe falte nesta hora — a mais grave de seu período de governo — a inspiração para dirigir ao povo a mensagem que restabeleça um clima de coragem para uma luta que no pode ser perdida.

 

Roberto Marinho. O Globo, 07/01/1989