Roberto Pisani Marinho nasceu no dia 3 de dezembro de 1904. Foi o primeiro dos cinco filhos do jornalista Irineu Marinho Coelho de Barros e da dona de casa Francisca Pisani Barros Marinho, chamada por todos de D. Chica. Tinha uma admiração incondicional pelo pai, de quem seguiu a profissão de jornalista. Da mãe italiana, herdou o faro e o impulso nos negócios. Pai, avô, bisavô, foi uma referência para os filhos, hoje dirigentes das Organizações Globo que levam adiante o legado deixado pelo empresário. 


Dona Chica, a matriarca

Francisca Marinho, mãe de Roberto Marinho, sem data. Arquivo/Acervo Roberto Marinho

Para a mãe, D. Chica, o filho mais velho era o mais bonito. A sobrinha Elizabeth Marinho conta, no livro Roberto Marinho, do jornalista Pedro Bial: “A mãe achava que o Roberto se parecia com o Rodolfo Valentino.”

No livro, Bial lembra que, menos de um mês antes de ter o primeiro filho, D. Chica vivia numa cidade em ebulição. “Vinte e três dias antes de dar à luz, Francisca viu estourar a Revolta da Vacina. Na falta de hospitais, tuberculosos se refugiavam em cabeças-de-porco e favelas. A música mais tocada do ano era a polca Rato, Rato, de Casimiro Rocha e Cláudio Costa, uma sátira à caça aos ratos promovida por Oswaldo Cruz. A esta cidade e estado de coisas chega Roberto Marinho. E é fundamental compreender o espírito da época para nos aproximarmos da essência de Roberto Marinho.” 

“Traços da personalidade de Roberto Marinho podem ser atribuídos ao espírito da terra que lhe emoldurou o nascimento e a infância.” (Franklin de Oliveira, jornalista)

No prefácio do livro Uma Trajetória Liberal, de autoria do próprio Roberto Marinho, o jornalista Franklin de Oliveira escreveu: "Se o homem é a sua circunstância histórica e se o desenho de sua vida se faz segundo o modelo da paisagem em que veio ao mundo, vários traços da personalidade de Roberto Marinho – seu espírito renovador, sua capacidade empreendedora, sua sensibilidade para o fato popular, sua adesão aos valores de nossa terra e sua cumplicidade congênita – podem ser, em parte, atribuídos ao espírito da terra que lhe emoldurou o nascimento e a infância."