Roberto Pisani Marinho nasceu no dia 3 de dezembro de 1904. Foi o primeiro dos cinco filhos do jornalista Irineu Marinho Coelho de Barros e da dona de casa Francisca Pisani Barros Marinho, chamada por todos de D. Chica. Tinha uma admiração incondicional pelo pai, de quem seguiu a profissão de jornalista. Da mãe italiana, herdou o faro e o impulso nos negócios. Pai, avô, bisavô, foi uma referência para os filhos, hoje dirigentes das Organizações Globo que levam adiante o legado deixado pelo empresário. 


Na redação de A Noite

Equipe de do jornal A Noite, década de 1910. Roberto Marinho é a criança sentada à direita. Arquivo/Agência O GloboNuma conversa gravada pelo Memória Globo, em setembro de 2000, com os filhos João Roberto Marinho, vice-presidente das Organizações Globo e presidente do Conselho Editorial, e José Roberto Marinho, vice-presidente das Organizações Globo e presidente da Fundação Roberto Marinho, o jornalista falou da época em que trabalhou com o pai. 

João Roberto  Você chegou a frequentar a redação de A Noite?

Roberto Marinho –  Cheguei a frequentar, sim. Papai era o astro. Depois, começamos com O Globo, e, a princípio, com muita timidez. Temeroso, mesmo, com aquelas figuras importantes.  

José Roberto – Tinha um time muito bom lá desde o início?

Roberto Marinho – Muito bom, muito bom. Isso era até o que me atemorizava.