Roberto Pisani Marinho nasceu no dia 3 de dezembro de 1904. Foi o primeiro dos cinco filhos do jornalista Irineu Marinho Coelho de Barros e da dona de casa Francisca Pisani Barros Marinho, chamada por todos de D. Chica. Tinha uma admiração incondicional pelo pai, de quem seguiu a profissão de jornalista. Da mãe italiana, herdou o faro e o impulso nos negócios. Pai, avô, bisavô, foi uma referência para os filhos, hoje dirigentes das Organizações Globo que levam adiante o legado deixado pelo empresário. 


Ruth, companheira no período de ascensão

Depois da separação de Stella, Roberto Marinho uniu-se a Ruth Albuquerque, com quem permaneceu casado durante quase 16 anos. Pedro Bial conta em seu livro que “Dona Ruth foi a companheira dos anos de ascensão máxima”.

“Não existia o tempo para ele.” (Ruth Albuquerque)

Ruth Albuquerque era vista pelos amigos do casal como uma mulher forte. Tinha vontade própria e foi amiga e conselheira de Roberto Marinho, com quem passou a viver depois de um casamento de oito anos com o tenente da Marinha Luís Fernando Burlamaqui.

Ruth Marinho e Roberto Marinho, 10/1985. Arquivo/Agência O GloboPara Roberto Irineu, cada casamento teve um sentido na vida do pai. “O casamento com a Ruth foi um período em que ele começou a trabalhar como um louco, para botar de pé a TV Globo. Foi uma época em que ele praticamente não fez nada: não viajou, não teve mais quase amigo nenhum e passou a viver de trabalho."

José Roberto tem lembranças mais próximas de Ruth: “Tive uma convivência ótima com ela. Ela tinha um estilo meio sério, meio durona. Lia O Globo todas as manhãs e ia mostrar para o papai o que achava ruim. O pessoal do jornal, claro, não gostava muito. Era companheira e foi muito boa para ele.”

Companheirismo foi um sentimento recíproco na vida do casal, concorda João Roberto. No entanto, o vice-presidente das Organizações Globo acredita que o casamento afastou um pouco o pai do grupo de amigos. “Eles tinham muitas afinidades, mas, com o casamento, os amigos ficaram divididos entre ela e a mamãe. Ruth era interessante, culta, gostava de arte, como ele. Tinha um temperamento forte e rígido. Nessa época, papai ficou mais recolhido.”  

Roberto Marinho tinha 85 anos quando se separou de Ruth Albuquerque, em 1989.